sexta-feira, 13 de abril de 2007

Como tratar uma mãe...

Antes de ler o texto abaixo, responda mentalmente essa pergunta: Jesus Cristo é seu Amigo?



Certa vez, uma amiga me convidou para conhecer sua família.

Essa amiga era muito querida e nos sentíamos como irmãs.

Ao chegar em sua casa, apresentou seus irmãos, seu pai e sua mãe. Fui muito bem recebida por todos, que se alegraram com a minha presença e me trataram com cortesia.

O dia transcorreu calmamente. Era uma casa cheia de paz e alegria, e as pessoas sorriam umas para as outras e para mim, demonstrando muito amor no olhar.

Porém, algo acontecia.

Embora todos me tratassem com grande cordialidade, e fizessem de tudo para que a minha visita fosse agradável, não conseguia reconhecer na mãe de minha amiga, nada que justificasse um sentimento especial por ela. Diferente do que sentia pelo pai e pelos irmãos. Aquela mulher inspirava uma simplicidade muito grande... Uma senhora doce, meiga, carinhosa, mas eu sorria para todos e para ela não. Conversava com todos, mas com ela não... Porém, mesmo assim, ela fazia de tudo para estar perto de mim, me agradar, me satisfazer... Em dado momento, pediu para minha amiga me ajudar com a minha bolsa que havia grudado em meu vestido, e poderia rasgá-lo.

No final do dia, achei-me na hora de ir embora. Despedi-me de todos com agradecimentos e abraços. Mas aquela mulher, somente com um gesto com a cabeça...

Minha amiga me acompanhou até a porta e com lágrimas nos olhos se despediu e agradeceu pela visita e pelo carinho demonstrado por sua família.

Fui para casa pensando: qual o motivo das lágrimas de minha amiga? Será que é porque eu estava indo embora? Mas nos veríamos no dia seguinte, no trabalho... E porque fez questão de agradecer pela forma com que tratei sua família? Ela não é sempre tão formal assim... Será que ela percebeu "o lance" com a mãe dela? Acho que não, afinal, a mãe dela, não percebeu, porque me tratou super bem...

Nesse instante cheguei em casa e me deparei com algo que mudou minha vida: minha mãe chorava...

Corri para perto dela e perguntei o que havia acontecido, porém em meio as lágrimas ela não conseguiu responder. Meu pai, então, explicou a situação:

- Agora à pouco a campanhia tocou e sua mãe foi atender. Era aquele seu amigo da faculdade, que veio aqui semana passada. Perguntou de você e sua mãe respondeu que havia saído. Estava chovendo na hora e então ela o convidou para que entrasse e esperasse você. Ele respondeu que não e fez menção de sair, mas ela perguntou então se ele queria ficar até a chuva passar. Meio sem paciência ele disse que não e ela insistiu, e sem que pudéssemos entender ele respondeu bruscamente que não queria ficar, e que ele ía se molhar mesmo. Ela, ainda insistindo, disse que ele poderia ficar resfriado...

Mas o que tem demais nisso tudo, pai? Perguntei, ainda sem entender nada. Abraçada à minha mãe, que já se acalmava.

- Pois é... - suspirou meu pai. Ele saiu resmungando dizendo que era para ela deixá-lo em paz, que ela não se intrometesse em sua vida, que ela era uma chata...

Minha mãe interferiu e disse que o mais importante é que ele gostava de mim, e que deveria estar nervoso com algo.

Aos berros comecei a esbravejar contra ele e disse: "Se ele fosse meu amigo mesmo, teria o mesmo carinho que tem por mim, pela minha mãe, pela simples consideração por nossa amizade"!

Ao dizer isso e avaliar o seu significado, essas palavras entraram no meu coração e ressoaram em minha alma... E não contive as lágrimas...


Então? Se Jesus é Seu amigo, como está tratando a Sua Mãe?










Texto: Reninha

2 comentários:

Roselane Francisca disse...

nunca sabemos do nosso dia de amanha
comece a ama-la agora e tenha sabedoria para saber,como falar com sua mae,pois depois que ela se for sera tarde demais para arrepender das palavras e mal faladas

Reninha Catelli disse...

Roselane Francisca obrigada pelo comentário! O texto sr refere a como se trata mãe de Jesus. Mas, vc em razão. Sei bem como é pois perdi minha mãe já fazem dez anos...